O Rio Branco

Hoje é 17 de Novembro de 2018

Enchente

Em nome do sossego alheio, lanchas e motos aquáticas são apreendidas na capital

04 de Março de 2015 às 09:19:49

A Justiça acatou pedido do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), e apreendeu motos aquáticas e lanchas por crimes de obstrução ao trabalho da justiça, perturbação do sossego alheio, direção perigosa e desobediência. No pedido, o promotor de Justiça, Ildon Maximiano, informou que o uso dos veículos vinha causando danos ao patrimônio público em áreas castigadas pela cheia do Rio Acre.

De acordo com o promotor, a despeito do cenário desolador, o homem identificado como Cauby Cavalcante tem se aproveitado do momento para prejudicar a paz pública e as manobras feitas com os veículos vinham provocando danos ao patrimônio das pessoas afetadas pela enchente. “A diversão deste senhor tem prejudicado as embarcações que são utilizadas para o auxílio das pessoas atingidas, já que ele passa em alta velocidade”, relata.

O pedido de busca e apreensão do Ministério Público foi fundamentado também no relato dos oficiais do Corpo de Bombeiros que advertiram o senhor Cauby Cavalcante e em denúncias de moradores que relataram o ocorrido às autoridades policiais. Ainda no pedido, o promotor solicitou que os bens apreendidos sejam cautelados para a Polícia Civil para que use os equipamentos no auxílio às vítimas.

Medidas serão adotadas

O Procurador-geral de Justiça, Oswaldo D´Albuquerque Lima Neto, disse que o MP vai adotar a medida também para Rio Branco, para que os veículos aquáticos que estejam prejudicando os trabalhos de Defesa Civil sejam apreendidos e seu uso revertido em favor das vítimas da enchente.

“O abuso na velocidade das lanchas e jet skis será coibido, pois contribui para agravar o problema. A potência dos motores provoca ondas que derrubam os barrancos e as casas. E é isso que estamos tentando evitar, afirma o Procurador.

[Ascom MPE]




Compartilhar