Madeira deve subir novamente a partir de terça-feira, alerta Defesa Civil

Madeira deve subir novamente a partir de terça-feira, alerta Defesa Civil

Da redação

Uma ameaça constante. Enquanto em Porto Velho são 171 famílias desabrigadas, que totalizam 991 pessoas, e 1019 famílias desalojadas, as previsões não boas para quem vive às margens do Rio Madeira: Apesar de diminuição no nível do manancial, a partir de terça-feira o rio deve encher novamente sofrendo assim o famoso repiquete.

Segundo o último Boletim Extraordinário do Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Madeira (SAH Rio Madeira), divulgado no dia 13 de março pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), essa queda no nível do Madeira já era esperada, tanto em Porto Velho, quanto em Abunã.

Para a Defesa Civil Municipal, esse comportamento do rio é considerado normal, mas, a partir da próxima terça-feira (19), os prognósticos do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) preveem que o Madeira volte a subir novamente, tendo em vista a chegada de águas da região boliviana em Rondônia.

Segundo reportagem do jornal Rondônia Agora, o nível do Rio Madeira, em Porto Velho, está baixando e, neste sábado (16), voltou a registrar 16,95 metros, segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA). A redução vem ocorrendo gradativamente desde a última quarta-feira (13), quando ainda marcou 17,23 metros.  

Aos afetados na região do Baixo Madeira, a Defesa Civil, em parceria com outras secretarias e entidades, continua levando assistência. Eles recebem alimentos, água mineral e doações conforme as necessidades. Neste sábado (16), o barco que seguirá para o Calama, distrito da Capital rondoniense, começa a ser carregado.

Algumas das famílias atingidas foram levadas para abrigos organizados pela Prefeitura de Porto Velho, tanto no ginásio Fidoca, quanto na margem esquerda do rio e também no Baixo Madeira. Nos locais, foram colocadas barracas de lona, que são utilizadas como moradias temporária aos ribeirinhos que tiveram a casa alagada pela enchente.  


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.