Terceirizados da Educação Estadual estão passando fome e salário não cai desde agosto

Por Wanglézio Braga

Funcionários da empresa Maia Pimentel que presta serviço para o Governo do Acre, principalmente em escolas públicas, estão há meses sem receber os pagamentos. Um grupo recorreu à imprensa para denunciar a situação de penúria que muitos estão passando por não ter como pagar dívidas, comprar alimentos para a família e até pagar pensão correndo inclusive o risco de sofrer punição da lei.

“É muito difícil você trabalhar o mês todinho, sendo uma boa funcionária, e no final não receber o que é de direito. A empresa quase não nos dar satisfações. Quando fala alguma coisa só promete e a gente fica na espera. Tem gente passando fome, fazendo cotinha para poder almoçar enquanto os filhos passam fome. Se não fosse a ajuda das pessoas que trabalham nas escolas a gente não tinha como sobreviver”, relata uma funcionária que manteremos o nome em sigilo.

Só na região da Baixada do Sol, em Rio Branco, a empresa presta serviços a pelo menos quatro unidades escolares. No total, cerca de 90 auxiliares de limpeza que estão sem receber seus proventos desde o mês de agosto e denunciam que a firma não toma providências sobre o caso.  

“Só dizem que quarta-feira vão resolver, passa quarta, quinta, os dias da semana toda e não resolvem. Todo dia tem cobrança na porta da minha casa, estou com vergonha. E pra piorar pago aluguel e estou pra ser despejada. Não sei a quem recorrer”, diz outra funcionária.

Portal O Rio Branco ouviu a direção da Maia Pimentel. A gerente financeira, Vera Mônica, informou que houve complicações nos repasses do governo estadual para a empresa e que isso impossibilitou o pagamento dos servidores que prestam especialmente auxílio nas escolas. Ela enfatizou que o problema foi somente com os auxiliares e que o restante dos colaboradores estão com os salários em dias.

Vera informou à nossa redação que até quarta-feira (17) o pagamento cairá nas contas. “Nós confirmamos a falta de pagamento e estamos resolvendo essa situação. Hoje mesmo enviamos processos para a Secretaria de Educação para recebermos os repasses. Além disso, nós estamos buscando outros meios no banco para honrar com os pagamentos”, afirmou.

O Rio Branco também ouviu a Secretaria Estadual de Educação. Em contato, fomos informados por meio da Assessoria de Comunicação que “O Estado estava realizando uma reorganização orçamentária e a Secretaria estava aguardando a finalização desse procedimento para então ser liberado o recurso para repasse à empresa. Recurso foi liberado e na sexta-feira, 11, foi entregue a Nota de Empenho referente a julho e agosto. Agora estamos aguardando que a empresa traga a NF, juntamente com as demais certidões exigidas, para que seja feito repasse”.

A Educação do Estado informou ainda que “nesta segunda, 14, já foi o emitida a Nota de Empenho de setembro a dezembro. Só aguardando a empresa ir buscar e realizar o mesmo procedimento, pra q seja pago o mês de setembro”.