O Rio Branco

Hoje é 14 de Novembro de 2018

Educação

Acre está na vanguarda do uso das tecnologias na educação

13 de Setembro de 2018 às 09:11:37

Em 1998, o governo federal lançou o Programa Nacional de Tecnologia e Informática Educacional, o Proinfo. Naquele momento, poucos Estados acreditaram na nova proposta. Ato contínuo, o governo do Acre criou, em Rio Branco e em Cruzeiro do Sul, o Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE), que funciona até hoje.

Com o objetivo de fomentar o uso das tecnologias de forma pedagógica nas escolas de ensino fundamental e médio, o Programa nasceu um pouco tímido. Apenas seis escolas receberam computadores, mas já foi o suficiente para mudar a postura pedagógica de lá para cá.

Atualmente, o NTE dispõe de videoteca, uma equipe pedagógica da TV Escola, que realiza oficinas de produção e edição de vídeose também realiza cursos para a formação e capacitação dos professores para o uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mas não foi um caminho fácil. Em Cruzeiro do Sul, o NTE logo ganhou a sua sede e,mais recentemente, está instalado no Centro de Referência de Inovações da Educação (CRIE). Já em Rio Branco, o Núcleo ganhou uma sede própria em 2000, mas passou por diversos espaços até, em 2013, ficar instalado também no CRIE da capital, um esforço do governador Tião Viana. “Já passamos por momentos de continuidade e de descontinuidade”, informa a assessora pedagógica do NTE, Rosa Braga.

O NTE possui também um programa de formação pela escola que oferece ao menos sete cursos dentro dos Programas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), como o Livro Didático, o Transporte Escolar e a Merenda Escolar.  “O Proinfo ainda existe e estamos trabalhando ele em alguns laboratórios”, destaca.

Para se ter uma ideia da importância do NTE na política educacional do Estado, de 2008 até 2015 foram abertas mais de 200 turmas para a formação de professores no uso pedagógico das novas tecnologias.

Um outro programa importante é o Educação Conectada, que este ano já disponibilizou mais de R$ 300 mil para ser utilizados pelas escolas na contratação de uma segunda internet, garantindo assim o acesso dos profissionais às mídias e aos conteúdos digitais. Ao todo são 178 escolas beneficiadas. “Com isso, melhoramos a conexão”, destaca.

Dessa forma, a partir das parcerias realizadas pelo governo do Estado, o uso das tecnologias dentro de uma nova pedagogia está sendo utilizada nos 22 municípios, beneficiando as escolas urbanas e até mesmo 24% das escolas rurais que funcionam próximo às cidades. “Nelas, chegamos com laboratório, com formação e também com o computador interativo Proinfo”, afirma Rosa Braga.

Mais quatro núcleos

Além dos núcleos de Rio Branco e de Cruzeiro do Sul, o governador Tião Viana e o secretário Marco Brandão criaram mais quatro núcleos, o que permite atender todos os municípios acreanos e capacitaros professores no uso dessas novas tecnologias voltadas para a educação.

O Núcleo de Rio Branco, que funciona no CRIE, atende os municípios de Bujari e Porto Acre. Já o NTE de Cruzeiro do Sul, que também funciona na sede do CRIE, atende os municípios de Porto Valter, Marechal Thaumaturgo, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

O NTE de Tarauacá, criado em 2011, atende, além deste, também os municípios de Feijó e Jordão. O de Sena Madureira é responsável pelo atendimento dos municípios de Manuel Urbano e Santa Rosa do Purus.

O de Xapuri, que por uma questão de logística foi transferido para Brasiléia, atende, além desses dois municípios, também Epitaciolândia e Assis Brasil. E o NTE de Acrelândia é responsável pelo atendimento das escolas e dos profissionais de Capixaba, Plácido de Castro e Senador Guiomard.

Plataforma EDUC

Em uma parceria com o Instituto Natura, o Instituto Inspirare e outros parceiros, o governo do Estado, por meio do NTE, lançou o programa Escola Digital, que é umaplataforma (educ.see.ac.gov.br) que tem domínio próprio onde são disponibilizados mais de seis mil objetos digitais, entre jogos, softwares, laboratórios virtuais e biblioteca, onde o professor pode utilizar em sala de aula.

“A partir dessa plataforma, que é um domínio próprio e que tem mais de seis mil objetos digitais, o professor pode utilizar para melhorar a aprendizagem na escola”, destaca a coordenadora de tecnologia educacional, Gleice Moreira.

“Sem falar Educação Conectada, um programa por meio do qual o governo federal repassou, recentemente, mais de R$ 300 mil para as escolas para que elas possam contratar diretamente o serviço de internet, sendo que cada uma das 178 escolas recebeu parte desses recursos”, explicou.

 

 

ASSESSORIA

 




Compartilhar