O Rio Branco

Hoje é 23 de Setembro de 2017

Economia

Quase 70% dos empresários acreditam em melhoria com liberação do FGTS, diz Fecomércio/AC

20 de Março de 2017 às 15:38:56

Pelo menos 67% do empresariado rio-branquense acredita em melhoria na economia com a liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para contas inativas. Em contrapartida, outros 16% entendem a medida como um alívio apenas momentâneo para o mercado de consumo doméstico. A pesquisa é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC), realizada por meio do Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac) entre os últimos dias 13 e 15, junto a 147 comerciantes.

 Ainda de acordo com 58% dos entrevistados, o início dos saques das contas inativas do FGTS reativa a capacidade do mercado de varejo, já que há uma melhor condição para a parcela com a oferta de estoque mais diversificado. Além disso, 44% dos comerciantes devem aderir à renovação dos produtos como uma estratégia de motivação aos clientes e pagamentos de dívidas; 16%, porém, omitiram a informação.

 O estudou revelou, ainda, que, para 79% dos empresários, os preços de vendas atuais devem ser mantidos para a base de cálculo dos descontos sobre as vendas. Entretanto, 6% admitem que os preços dos bens e serviços devem ser atualizados em conformidade com o faturado.

 A melhoria com o ingresso do dinheiro dos saques é a opinião de, pelo menos, 39% dos comerciantes; porém, a maioria acredita que os clientes devem preferir atualizar as finanças domésticas (27%) e quitar débitos pendentes (20%). Para 10%, no entanto, não haveria esperanças quanto a um aquecimento de mercado, haja vista a grande parcela de habilitados nos saques do FGTS em contas inativas com saldo inferior a um salário mínimo.

 O assessor da presidência da Fecomércio/AC para assuntos econômicos, Alex Barros, avaliou que deve haver um aquecimento, de fato, na economia, uma vez que mesmo os consumidores que têm compromissos financeiros atrasados estarão aptos novamente ao consumo. "Porém, as contratações não devem acontecer tão rapidamente, tendo em vista que, nesse curto prazo, os empresários talvez não consigam alcançar o equilíbrio no seu fluxo de caixa”, afirmou.

 A comerciante Liberdade de Almeida trabalha em uma loja de vestuários em Rio Branco, e disse acreditar que a liberação do FGTS vai ajudar muito. “As pessoas irão sanar as dívidas e, na oportunidade, poderão estar em contato com um estoque novo. Assim, o dinheiro deve circular novamente”, finalizou.

Ascom 

 




Compartilhar