O Rio Branco

Hoje é 18 de Agosto de 2018

Economia

Pequenos Negócios movimentaram mais de R$ 12 milhões nos últimos três anos

06 de Março de 2018 às 08:42:36

Proporcionar renda e oportunizar a concretização de sonhos fazem parte dos compromissos da gestão do governador Tião Viana. Prova disso, é a consolidação do Programa de Apoio à Criação e Fomento em Economia Popular e Solidária, desenvolvido desde 2011. O projeto permite a ampliação de ocupações produtivas e a geração de trabalho e renda dignos para população e já mudou a vida de milhares de famílias em todo o Estado.

Nos últimos três anos, o setor movimentou mais de R$ 12 milhões. Desses, R$ 400 mil foram contabilizados na participação dos artesãos acreanos em cinco feiras nacionais, além da Feira Mundial de Artesanato Indígena, realizada em Palmas, Tocantins, em 2015.

Atualmente, em todo o estado 1.346 artesãos estão cadastrados. A meta é consolidar 2.600 até o final deste ano. Com apoio do banco alemão KFW (Kreditanstalt für Wiederaufbau), serão investidos mais R$ 1,5 milhão no setor nos próximos meses.

Para 2018 outros projetos serão consolidados, como uma parceria com a Peixes da Amazônia que permitirá a inserção do couro, como uma alternativa de inovação da matéria-prima regional, na confecção de novos designers.

Feiras nacionais e internacionais

O sucesso das ações também é resultado de parcerias que visam o fortalecimento das atividades de compromisso que o governo do Acre tem na promoção, expansão e modernização da economia do Estado, por meio da valorização da produção artesanal, na busca pela melhoria da qualidade de vida dos povos da floresta e políticas de desenvolvimento sustentável.

Com apoio de instituições parceiras, o Acre esteve representado em feiras nacionais e internacionais por meio da Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN), a qual fortalece a microeconomia local, pelo artesanato acreano produzido com finas peças a partir da matéria-prima regional.

Em 2016, quatro artesãs acreanas receberam o Prêmio Top100 do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Com base no volume de negócios e no índice de visitação aos estandes acreanos, os indicadores de desempenho colocaram o Acre em primeiro lugar entre as maiores potências do artesanato no Brasil. Desde então, o estado se mantém nas três primeiras posições no ranking.

A XVIII Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), considerada a maior da América Latina, e a 28ª Feira Nacional de Artesanato, somadas aos eventos locais, renderam em 2017 mais de R$ 4 milhões aos empreendedores artesanais do Acre.

Feiras locais

As feiras locais obtiveram um crescimento contínuo, nesses últimos 3 anos, com índice de mais de 48% de elevação nas vendas de 2015 a 2017. Os dados expressivos do segmento de lojas de venda direta ao consumidor denotam sua importância na economia do setor artesanal. O volume de negócios passou de um patamar de R$ 2.506.229,67 para R$ 2.974.762,12, que perfaz um crescimento de mais de 18%.

Em suma, o setor artesanal agregou à economia acreana R$ 12.642.849,94, em vendas nesses últimos três anos, com uma renda per capita (por artesãos cadastrados) estimada em R$ 3.300,00/ano.

Realizando sonhos

Há 57 anos Enoque Tavares, trabalha com escultura em cimento retratando histórias por meio das lendas regionais, o artista transfere um pouco de seu conhecimento e experiência a novos profissionais do ramo. “Só tenho a agradecer ao governo do estado por me dar a oportunidade de ver meu produto sendo comercializado dentro e fora do estado, ensino um pouco do que sei, e quero ver meus alunos brilhando mundo a fora”.

“Temos muito que agradecer à primeira-dama do estado, Marlúcia Cândida, pelo apoio que recebemos de seu gabinete. Acompanhar o passo a passo de cada artesão desde o início de todo o processo, a capacitação, os produtos prontos, as participações em feiras, vê-los se tornarem empreendedores individuais, essa é nossa maior recompensa”, ressalta a coordenadora estadual de artesanato, Marilda Brasileiro.

Para a primeira-dama Marlúcia Cândida, o programa representa uma grande mudança para inúmeras famílias em todo o Estado. “Ficamos muito felizes em saber que ao longo desses anos foram gerados R$ 12 milhões dentro do estado. Imagina quantas famílias se beneficiaram, quantas foram alimentadas, conseguiram honrar com seus compromissos, adquirir sua casa própria, seu carro ou pagar o seu aluguel, por meio desse programa transformador”, destaca.

Casa Arte Nativa

No segundo semestre de 2018 será inaugurada a “Casa Arte Nativa”, uma loja matriz onde serão comercializados os produtos artesanais acreanos. A casa será na sede da coordenação Estadual do Artesanato Acreano, na rua Coronel João Donato, número 125, bairro Ipase. A comercialização vai viabilizar ao artesão, a compra de matéria-prima.

No decorrer deste ano a comissão se prepara para realizar uma rodada de negócios, na capital: o segundo Congresso Estadual de Artesãos. Em Cruzeiro do Sul será lançado o Catálogo das peças desenvolvidas na Clínica de Designer, em parceria com a Sebrae/AC e oficinas, além das feiras locais e nacionais, onde o Acre mais uma vez estará sendo representado.

“Esse apoio é essencial para o desenvolvimento empresarial de cada artesão. A partir desses auxílios estamos nos consolidando, alcançando novas oportunidades de negócios até mesmo fora de nossa região. Devido a esse apoio hoje tenho clientes que compram meus produto regularmente“, pontuou a empresária em Marchetaria, Florinda Bissoli.

 

Agência




Compartilhar