O Rio Branco

Hoje é 22 de Novembro de 2017

Brasil

Após novas mortes em cadeia improvisada, presos são transferidos para o interior do AM

09 de Janeiro de 2017 às 09:50:20

Por ordem do juiz Flávio Henrique Albuquerque de Freitas, 20 presos foram levados da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus, para o presídio de Itacoatiara, cidade que fica a cerca de 270 quilômetros da capital amazonense. A transferência aconteceu na manhã desta segunda-feira (9), segundo o Comitê de Gerenciamento de Crise. 

Na madrugada de domingo (8), quatro detentos morreram após uma rebelião na cadeia pública. O local, que ficou desativado por três meses por falta de estrutura e segurança, foi reaberto no dia 3 de janeiro para receber detentos após os massacres que deixaram 60 mortos em dois presídios, no início do mês. Três dos presidiários mortos no Raimundo Vidal foram decapitados. O outro morreu asfixiado. 

Segundo a SEAP (Secretaria de Administração Penitenciária), os detentos estariam correndo risco de morte, o que motivou um pedido da Defensoria Pública do Amazonas pela transferência.

De acordo com o Comitê, após o confronto, dez internos receberam atendimentos médicos básicos na cadeia pública. Deles, sete tiveram de ser encaminhados para atendimentos em unidades de saúde de Manaus, mas retornaram em seguida para a Cadeia Pública.

Em nota, o defensor público geral do Amazonas, Rafael Barbosa, disse que não havia, na cadeia pública, local em que os detentos pudessem "ser mantidos seguros e livres de qualquer risco". Barbosa esteve na Raimundo Vidal na noite de domingo, após o conflito.

Na decisão, o juiz afirmou que não restavam dúvidas da necessidade da transferência. A decisão, segundo ele, tem como objetivo o resguardo da integridade física dos presos, já que haveria risco de novos conflitos e mortes se eles permanecessem no local.

Em nota, o Comitê de Gerenciamento de Crise do Amazonas disse que presos "iniciaram uma briga por motivo desconhecido" e que quatro detentos "foram mortos pelos próprios internos".

Pedido

Após a rebelião de domingo, o governador do Amazonas, José Melo (Pros), pediu, ao governo federal, o apoio da Força Nacional de Segurança.

No ofício, encaminhado ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, Melo chega a citar que a situação no Estado está levando os servidores da área de segurança pública a "limites preocupantes" e diz que a nova rebelião motivou o pedido de auxílio da Força Nacional.

UOL




Compartilhar