Com fornecimento de água e luz, surge um novo tempo nas aldeias

Basta abrir a torneira e é festa na Aldeia Nova Fortaleza! O semblante, o olhar, as gargalhadas, tudo é alegria para aquele povo indígena do Alto Jordão, ao ver pela primeira vez a instalação do sistema de água sendo consolidada e beneficiando dezenas de famílias que vivem ali.

Uma dose dupla de emoção: a distribuição de energia elétrica também é inaugurada simultaneamente. Tudo isso é resultado de um projeto voluntário do empresário e fotógrafo Ion David, que recebe o apoio da Secretaria de Estado de Turismo e Lazer (Setul) para a execução.

Ion, que mora na Chapada dos Veadeiros (GO), desenvolve trabalhos na área do turismo há 18 anos. Esteve pela primeira vez no Acre em 2009, quando realizou oficinas de sensibilização em etnoturismo. A partir daí, percorreu aldeias do Estado ministrando capacitações coordenadas pela Setul, com a parceria de instituições.

Durante visita às terras indígenas, ele conta que era visível o desconforto que as mulheres tinham de subir e descer barrancos com baldes de água sobre a cabeça. “Elas tinham que carregar água para cuidar da alimentação e da limpeza, tendo que atender muita gente que ficava nas aldeias nesses períodos. Ao fim dos cursos, já percebíamos o cansaço delas só pelo olhar”, comenta.

Diretor da empresa Travessia, em Goiás, Ion desenvolveu o projeto que contemplaria inicialmente as aldeias Nova Cachoeira e Nova Fortaleza. Em parceria com o técnico Sérgio Sandesh, proprietário da empresa Madure Solar, o projeto foi financiado por uma empresa inglesa, que enviou equipes às aldeias para a execução das obras. Deu-se, assim, o início de um novo tempo: de esperança, de fortalecimento da cultura tradicional, de valorização de um povo.

Segundo Ion, a Setul fez todas as articulações necessárias para que se chegasse à permissão para a entrada nas aldeias, junto à Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Associação dos Seringueiros Kaxinawá do Rio Jordão (Askarj). Em 2014, 13 casas receberam água e luz na Nova Cachoeira. Este ano, o fornecimento desses serviços contemplou 16 casas na Nova Fortaleza.

“Imaginem: água é essencial, e o turismo é a maior indústria de distribuição de recursos possíveis. Com a melhoria, ajudamos a fortalecer a cadeia produtiva do turismo no Estado”, completa Ion.

Além de um poço, também é instalada uma placa de energia solar para ser criada a rede de distribuição. “Buscamos um sistema que não precisasse de manutenção constante, e a tecnologia solar é perfeita para as necessidades deles. Assim, eles terão esses serviços por muitos anos, sem precisar se preocupar”, frisou o técnico Sérgio Sandesh.

O esforço coletivo torna-se gratificante diante dos resultados. “Vimos o quanto a comunidade é beneficiada de forma direta. As mulheres, então, essas, sim, são mais felizes ainda. É totalmente visível”, completou 

Agência de Notícias do Acre