O Rio Branco

Hoje é 24 de Novembro de 2017

Acre

Investimentos do governo em feijão e mel fazem a diferença em Marechal Thaumaturgo

16 de Agosto de 2017 às 08:38:31

São necessárias algumas horas de barco a motor e subidas e descidas em barrancos pelo Rio Juruá para acompanhar o progresso que alguns dos principais investimentos do governo do Estado em cadeias produtivas têm feito em Marechal Thaumaturgo. E o governador Tião Viana fez questão de ver esses resultados de perto na segunda-feira, 14, principalmente nas cadeias do feijão e do mel.

Maior cidade produtora de feijão do Acre, Marechal Thaumaturgo desponta com uma agroindústria beneficiadora do produto, montada pelo governo e coordenada pela Cooperativa Sonho de Todos (Coopersonho), que hoje possui cerca de 93 cooperados.

Com incentivos do governo, a produção de feijão disparou no município. Segundo o presidente da cooperativa, Altemir Firmino, se em 2016 a agroindústria beneficiou seis toneladas do produto, a expectativa é de chegar até o fim deste ano com 50 toneladas e o desejo de alcançar até os mercados de Rio Branco.

O produtor Paulo Bezerra, que possui sua propriedade às margens do Rio Arara, foi o maior vendedor até agora de feijão para a cooperativa. Foram 897 quilos da leguminosa só este ano e a felicidade por um mercado fixo para o produto.

“Tem dez anos que eu planto feijão, desde que eu constituí família. E pra mim é maravilhoso este apoio do governo. Esta indústria mudou tudo. Porque agora a gente produz e sabe para quem vende. E eu só quero plantar mais”, disse, satisfeito, Bezerra.

O sucesso do mel

Marechal Thaumaturgo também é a cidade que mais produz mel no Acre. O governo do Estado já distribuiu 600 colmeias no município e outras 200 estão previstas para este ano.

Para o governador Tião Viana, o sucesso das duas cadeias em uma região de difícil acesso é um grande feito de sua gestão, que priorizou os investimentos do agronegócio entre pequenos e médios produtores.

“Esta é uma bonita demonstração do que é uma unidade familiar produtiva, e quando ela se agrega em comunidade, alcança uma grande escala de produção. Um litro de mel de abelha custa cerca de R$ 80, e quando ele vai para fora, o preço fica muito maior. Na unidade do feijão, há comunidades onde ele é produzido na beira da praia, puro, sem agrotóxicos, para uma agroindústria que já beneficiou 300 toneladas e reafirma o desenvolvimento do Acre”, disse o governador.

Entre aqueles que fazem parte do programa de mel do governo, Raimundo Nascimento, morador da Reserva Extrativista Alto Juruá, foi um dos maiores beneficiados, contando hoje com 24 colmeias de abelhas sem ferrão que são um importante complemento na renda familiar, rendendo mais de R$ 2 mil por ano.

“É um projeto que a Seaprof [Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar] trouxe e eu fiz o treinamento com eles. Daí comecei nisso, e ainda faço um pouco de farinha. Tenho os cocos e vamos juntando tudo”, contou Nascimento.

O deputado estadual Lourival Marques, ex-gestor da Seaprof no primeiro mandato de Tião Viana, orgulha-se dos resultados dos programas. “É uma satisfação muito grande ver o resultado de um trabalho desde o início de 2011 e hoje poder colher os resultados. Isso mostra o empenho do governador para que o setor agroindustrial do estado possa funcionar.”

 

Agência




Compartilhar