O Rio Branco

Hoje é 17 de Agosto de 2017

Acre

Mulheres de Sena Madureira recebem centro de acolhimento contra violência

16 de Junho de 2017 às 08:10:28

“Quando uma mulher diz não, é não!”. A mensagem clara é de Eliana de Souza, coordenadora do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) de Sena Madureira, reinaugurado na manhã desta quarta-feira, 14, pela governadora em exercício Nazareth Araújo.

O espaço é administrado pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SEPMulheres) e fica localizado no Centro Estadual de Educação Permanente (Cedup).

Com firmeza e também muito amor, mulheres de diversos segmentos sociais celebraram a reestruturação de mais um importante local de acolhimento para quem mais precisa. “Entregamos este benefício para que as mulheres reconheçam este Centro como apoio para refazerem todas suas forças”, declarou Nazareth.

Estruturado com carro, salas para atendimento e um corpo técnico multidisciplinar, o Ceam possibilita o atendimento nas áreas psicológicas, jurídicas e de assistência social. O investimento do governo do Estado foi de R$ 190 mil, garantindo um novo endereço de cidadania para a população de Sena Madureira.

O Centro é um local de acolhimento para a mulher que está em busca dos seus direitos. Quando é necessário o atendimento além do psicológico, ela é encaminhada para uma rede de apoio institucional, podendo ser a delegacia, hospital, defensoria, em alguns casos mais graves, é encaminhada para a Casa Rosa Mulher, em Rio Branco.

“Desde 2012 a SEPMulheres atua em Sena Madureira. Estamos quebrando paradigmas, fazendo um trabalho de conscientização sobre os diversos tipos de violência que as mulheres têm sofrido”, afirmou Eliana. Ela explica também que a rede de apoio conta também com secretarias de Estado como a de Pequenos Negócios (SEPN), Produção Familiar (Seaprof), Indústria e Comércio (Sedens), Desenvolvimento Social (Seds), Gestão Administrativa (SGA), entre outras.

Campanha “Quem ama abraça”

Durante a solenidade, foi lançada também a campanha “Quem ama abraça”, em que equipes da SEPMulheres vão percorrer escolas e outras instituições da cidade levando mensagem de conscientização contra violência. “Precisamos estar juntos contra qualquer tipo de violência”, afirmou Concita Maia, titular da SEPMulheres.

Uma das etapas da campanha é mostrar exemplos de como vidas e famílias podem ser destruídas quando há um ciclo de agressões contra a mulher. Francisca de Gomes é um exemplo, após os anos de sofrimento conseguiu ajuda no Ceam. “Eu me sentia como se não existisse. Com o atendimento dessas companheiras eu consegui renascer”, afirmou, emocionada, relembrando todo o apoio que recebeu desde o momento que decidiu mudar de vida.

Reforçando a mensagem de defesa da paz e da boa vida em comunidade, Nazareth disse acreditar “na capacidade do ser humano de se refazer, mas é preciso estarmos juntos em comunhão. É uma luta de todos nós fazer com que esse país seja diferente. Precisamos falar sobre isso e combater a violência, para que as famílias tenham  uma nova oportunidade de serem felizes”.

O que disseram

“A união por políticas públicas firmes está fazendo a diferença com essa entrega. Nós, mulheres, não queremos ser mais que os homens, queremos ser tanto quanto eles” – Sawana Carvalho, titular da SGA

“O mau só existe quando não há o bem. Aqui, nosso governo está trazendo o bem para a vida das mulheres e famílias que mais precisam” – Silvia Monteiro, secretária-adjunta de Pequenos Negócios

“A prefeitura está aberta para mais e mais parcerias. Nossa cidade ganha muito mais dignidade com a entrega deste centro” – Gilberto Lira, vice-prefeito.

 

 

Agência

 




Compartilhar