O Rio Branco

Hoje é 28 de Maio de 2016

Acre

Escola de Epitaciolândia receberá R$ 35 mil de edital pró-equidade negra

15 de Março de 2017 às 08:09:55

A Escola Estadual de Ensino Médio Belo Porvir, de Epitaciolândia, está entre as dez selecionadas na 2ª edição do Edital de Gestão Escolar para Equidade – Juventude Negra, uma iniciativa do Fundo Baobá, do Instituto Unibanco e da Universidade Federal de São Carlos (SP). Os projetos vencedores foram anunciados nesta segunda-feira, 13, em São Paulo.

O projeto “Nos Varadouros da Equidade Racial”, da Belo Porvir, foi um dos escolhidos do total de 185 inscritos este ano, provenientes de todo o país. Cada um vai receber R$ 35 mil como financiamento de suas atividades.

A Belo Porvir é uma das dez escolas selecionadas entre mais de 180 (Foto: cedida)

 

A escola, que está localizada no município de pouco mais de 16 mil habitantes e a 240 quilômetros de Rio Branco, na fronteira com a cidade boliviana de Cobija, tem apenas quatro anos de existência. Ali, dos 660 estudantes matriculados, 133 se autodeclararam negros.

Desde a sua fundação, o corpo docente da unidade tem desenvolvido projetos interdisciplinares para aprofundar a discussão sobre o papel desempenhado pelos negros no Brasil e na própria comunidade, estimulando o protagonismo dos jovens e melhor compreensão do contexto em que estão inseridos.

Hoje, a escola já inclui o tema negritude em seu do plano de curso de diversas disciplinas, por meio de oficinas e reflexões em sala de aula. O projeto “Nos Varadouros da Equidade Racial” dará sequência às oficinas de carga horária complementar e à exploração de temas relativos ao preconceito e ao racismo, promovendo a valorização da diversidade.

A iniciativa pretende oferecer espaços de capacitação alternativos aos alunos, munindo-os de repertórios e habilidades compatíveis com as exigências para uma atuação cidadã e produtiva, inclusive, preparando-os para o mercado de trabalho.

Assim, a exploração desse conteúdo possibilitará a criação de um espaço para que todos sejam tratados com equidade, independentemente de sua raça, contribuindo para a melhoria do clima escolar, com menos violência e intransigências, e com a participação de pais e alunos no processo de aprendizagem.

Nas aulas de Língua Portuguesa, por exemplo, haverá um enfoque mais aprofundado sobre literatura africana e afro-brasileira. Estão previstas atividades para abordar as questões raciais, como roda de conversa, sessões de cinema, noite e dia de talentos (música, dança, teatro, poesias e coreografias afro-brasileiras), exposição de fotografias e sarau literário, entre outras iniciativas.

Além disso, também serão realizadas palestras com temas transversais de interesse dos jovens, como gravidez na adolescência e mercado de trabalho, envolvendo toda a comunidade escolar.

 

Agência




Compartilhar