net-prf-enem_13-02-2014
 
 
 
 
You are here: Home
 
 

Mulher é morta e enterrada dentro de casa pelo namorado

E-mail Imprimir PDF

homem_tem_m__o_decepada_apos_matar_mulherAcusado de matar e enterrar namorada tem mão decepada durante linchamento

A mulher foi asfixiada com um sacola plástica, teve as mãos e os pés amarrados e o corpo enterrado dentro da casa do acusado

 

A dona de casa Maria Madalena Moraes Campos (27) foi vitima de um crime macabro e com requintes de crueldade praticado pelo namorado um suposto missionário evangélico identificado pelo nome de Roberto da Silva Araújo, morador do Conjunto Waldemar Maciel, bairro Calafate.

A mulher foi asfixiada com um sacola plástica, teve as mãos e os pés amarrados e o corpo enterrado dentro da casa do acusado, localizada na rua Juazeiro.

De acordo com informações de familiares da vítima, Maria Madalena, morava com uma filha de 13 anos no bairro Vila Acre e estaria namorando o suposto missionário a pouco mais de mais de 15 dias.

Na última sexta-feira, 01, ela saiu de casa acompanhada de Roberto Araújo para ir a residência dele no bairro Waldemar Maciel e nunca mais retornou.

A família passou a procurar Maria Madalena e decidiu registrar queixa crime do desaparecimento na Delegacia Especial de Atendimento a Mulher – DEAM, onde foi informado da suspeita de que o namorado teria feito algo de errado com a mulher.

Roberto Araújo foi intimado para comparecer a delegacia e prestar esclarecimento sobre o paradeiro da namorada.

Parentes da vítima encontraram corpo enterrado em cova rasa dentro de casa

Enquanto a Polícia trabalhava familiar e amigos de Maria Madalena decidiram fazer uma investigação paralela da polícia e descobriram a residência de Roberto.

Imediatamente a polícia foi comunicada do endereço e na tarde desta quarta-feira, um delegado foi ao bairro Waldemar Maciel acompanhado de parentes da desaparecida.

Segundo informações ao chegar ao endereço encontraram a casa trancada e o delegado resolveu retornar a delegacia para solicitar um Mandado de Busca na casa de Roberto.

Quando o delegado retornou a delegacia parentes de Maria Madalena que ficaram no bairro decidiram arrombar a porta e  entrar na casa, quando perceberam um forte odor e objetos usados em construção, como enxada, cimento e tijolo próximo ao banheiro.

Imediatamente um cunhado da vítima e a irmã começaram a cavar quando apareceu um braço humano e a partir dai acionaram a polícia militar.

Peritos do Instituto Médico Legal – IML e Corpo de Bombeiros foram acionados e ao cavar encontraram o corpo de Maria Madalena que estava enterrado em uma cova rasa onde o acusado teria iniciado uma espécie de concretação com cimento para cobrir a falha no assoalha da casa.

O corpo da vítima apresentava sinais de torturas, com os pés e mãos amarrados, uma sacola plástica envolvendo a cabeça, além de um arame envolto ao pescoço.

O corpo foi resgatado e encaminhado ao Instituto Médico Legal – IML para exame cadavérico em seguida seria liberado para sepultamento, pois já estaria em processo de decomposição.

Família faz festa surpresa no domingo e aniversariante não apareceu

De acordo com informações de parentes da vítima, no domingo, 03 foi o aniversário de Maria Madalena e a família teria feito uma festa surpresa para a ela na Igreja, mas a aniversariante não apareceu, pois já estava morta.

Segundo um cunhado da vítima, o namorado de Maria Madalena se apresentou a família da mulher afirmando ser um missionário evangélico e que estaria fundando uma Igreja. Mesma historia que ele costumava contar para os vizinhos.

Segundo os moradores próximos a casa de Roberto, ele tinha um comportamento estranho. Sempre andava vestido de calça social, blusa de manga comprida e sempre com uma Bíblia nas mãos e para todos afirmava que era missionário e estaria construindo uma Igreja no bairro.

E estaria com a missão de resgatar almas, mas ao esmo tempo sempre era visto entrando na casa com mulheres diferentes, o que causava estranheza, pois o comportamento fugia aos padrões de um missionário, mesmo assim ninguém suspeito que Roberto tivesse assassinado a namorada, pois todos os dias ele dormia em casa e jamais poderia imaginar que o corpo de Maria Madalena já estava enterrado na casa dele.

Acusado de matar e enterrar namorada dentro de casa tem mão decepada durante linchamento e casa incendiada

O crime macabro e cruel que vitimou a dona de casa Maria Madalena Moraes Campos (27) encontrada morta e enterrada em uma cova rasa dentro da casa do namorado Roberto da Silva Araújo provocou uma reação de revolta dos moradores do Conjunto Waldemar Maciel que resultou no linchamento do acusado que foi brutalmente espancado a golpes de ripas e teve a mão esquerda decepada a golpes de terçado e cortes profundos no rosto e na cabeça.

De acordo com informações era por volta das 22h quando Roberto caminhava na rua Juazeiro em direção a residência onde no período da tarde o corpo da namorada dele foi encontrado enterrado.

Revoltados os moradores se reuniram em uma multidão e decidiram fazer “justiça” com as próprias mãos linchando o acusado. Segundo informações Roberto caminhava tranquilamente pela rua levando uma sacola contendo velas, sal grosso e alho.

Ao ver os produtos os moradores que a principio teria detido Roberto e chamado a Polícia teriam se revoltado mais ainda supondo que ele pretendia praticar algum ritual satânico com o corpo da vítima, ou ainda tivesse a intenção de salgar o corpo para tentar eliminar o odor devido à decomposição.

Quando a guarnição chegou ao local indicado pelos moradores encontraram Roberto Araújo já com a mão esquerda decepada e o braço direito preso somente pela pele, além de diversos golpes por todo o corpo e envolta do acusado uma multidão que passou a correr em volta do local, não possibilitando a identificação de nenhum.

Imediatamente os militares fizeram um “cordão” de isolamento humano e pediram reforço ao CIOSP. Uma equipe do SAMU foi acionada para socorrer a vítima que foi colocada dentro da viatura sobre os gritos de protestos da multidão que a todo instantes pedia para que a polícia o soltasse, pois queriam fazer “justiça”.

A vítima foi conduzida ao Pronto Socorro de Rio Branco, juntamente com a mão amputada que foi levada pelos paramédicos na esperança de que os médicos plantonistas consigam reimplantar o membro.

Casa de acusado é incendiada por multidão enfurecida

O descontrole coletivo dos moradores do Conjunto Waldemar Maciel teve início cerca de uma hora após a retirada do corpo da mulher da casa do acusado.

Revoltados com o crime macabro praticado por Roberto Araújo, uma multidão decidiu incendia a casa do acusado que foi destruída pelo incêndio e de comum acordo a multidão decidiu não acionar o Corpo de Bombeiros.

Segundo informações após o incêndio dezenas de pessoas passaram a circular nas rias do bairro a procura de Roberto Araújo que teria sido avistado por um grupo de adolescentes.

E quanto mais caminhava mais pessoas se juntava a multidão até o momento em que se deparou com o acusado a caminho de casa e partir desse instante ocorreu o linchamento.

alt



Veja também:


Comentar


Código de segurança
Atualizar