Colunistas

Cameli é melhor que Viana, afirma pesquisa Data Control encomendada pela Fieac

Em entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quinta-feira, 31, na sede da Federação do Comércio, o  presidente dos Sistema Fieac, empresário  José Adriano e o diretor do Instituto Data Control, José Denis Santos, apresentaram  pesquisa intitulada “Sondagem da Indústria”.

O levantamento da Fieac, em parceria com o Data Control, foi realizado no período de 19 a 27 de outubro, em Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Tarauacá, Feijó e Brasiléia. A pesquisa ouviu 1.208 pessoas, correspondendo a 0,22% da população acreana. Segundo Denis, a margem de erro da pesquisa é de 3% e o nível de confiança e de 95%.

Pelos dados da pesquisa, a avaliação do governador Gladson Cameli (PP) é considerada ótima e boa para  41,9% dos entrevistados, sendo ótimo 9,2% e 32,7%. 36,9% consideram regular e ruim e péssima representam 17,5%, sendo ruim 7,2% e péssimo 10,2%. Não souberam ou não responderam representam 3,6%.

A pesquisa perguntou se a população aprova ou desaprova o modo do atual governar. Para 56,5% dos entrevistados a maneira de Cameli governar foi  aprovada, mas 28,5% desaprovam. Não souberam ou não responderam, apresentam 15,1%.

A pesquisa também abordou quem seria o melhor governador entre o atual, Gladson Cameli, e o que deixou o cargo no final do ano passado, Tião Viana, Para 52,7% dos entrevistados, Cameli é melhor, apesar de está a pouco mais de 10 meses a frente do cargo. Já 28,8% avaliaram a gestão de Viana, que governou o Acre por oito anos consecutivos. Não souberam ou não responderam o levantamento, somam 18,5%.

Quanto à estimativa dos acreanos com relação ao futuro do governo Gladson Cameli, 33,9% afirmaram que vai melhorar e 41,9% informaram que vai melhor um pouco. Não vai nem melhorar e nem piorar, representam 15,4%. Já os pessimistas somam 6,2% , afirmaram que vai piorar um pouco enquanto 2,6% destacaram que vai piorar muito.

Adriano lembra que a pesquisa é apenas um referencial teórico e não uma verdade absoluta. No entanto, nos mostra alo aproximado da  realidade momentânea.”Uma visão ampla do novo momento que o Acre vem passando”, afirmou.

Denis, explicou que pesquisa é baseada no momento vivido, levando em conta fatores sociais, acontecimentos políticos e o cotidiano dos acreanos. “Acreditamos que ela traz o levantamento mais próximo da realidade”, explicou.

Reunião

Deputada Federal Mara Rocha (PSDB-AC) se reuniu com os diretores do Banco do Brasil, Diego Quadros e  Mario Praça, na manhã desta quinta-feira, 31, em seu gabinete, em Brasília (DF).

Mais agências

A reunião tratou sobre a abertura de agência no Bairro Estação Experimental e no Bairro Calafate, em Rio Branco. Ela lembrou que são duas regiões populosas e  precisam de mais opções de serviços bancários.

Interior

Mara Rocha buscou formações sobre o fechamento da agência do Bando do Brasil, em Plácido de Castro e sobre a falta de cédulas nas máquinas de autoatendimento, em Cruzeiro do Sul. Os diretores assumiram compromisso de resolver os dois problemas.

Efeito positivo

O encontro com diretores do banco surtiu efeitos positivos. O Banco do Brasil será reinstalado no bairro Estação e no Calafate será montado, inicialmente, correspondente transacional para atender a demanda.

Denúncia

Deputado federal Jesus Sérgio (PDT) , nesta quarta-feira, 30, da Audiência Pública que debateu a taxação da produção de energia solar.  Segundo ele, a Aneel "trabalhar em prol das distribuidoras".

Mais prejuízos

Jesus Sérgio argumentou que a taxação representará prejuízo a população e também ao desenvolvimento da Região Norte.  A audiência foi conduzida pela Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados

Incentivo

Segundo o parlamentar, agricultores do Acre foram incentivados a produzir sua própria energia, uma vez que na região há diversas localidades de difícil acesso e que não chega energia elétrica.

Explicação

Governo estadual explicou os motivos pelos quais manteve o sublimite do Simples Nacional em R$ 1,8 milhões no Acre, pós o governador Gladson Cameli (PP) ter prometido aos deputados que aumentaria esse sublimite para R$ 3,6 milhões.

Equilíbrio

Segundo a secretária de Fazenda, Semírames Dias,  houve um entendimento entre a equipe técnica de auditores, prezando e avaliando o momento de equilíbrio da economia acreana.

Proteção

Com o Produto Interno Bruto(PIB) de 0,2% do nacional, tato o governo do Acre quanto o do Amapá e Roraima, com mesma capacidade econômica, mantiveram o sublimite estadual para proteger a receita tributária

# Senador Marcio Bittar (MDB-AC) se reuniu com o presidente do Senado, senador David Alcolumbre (DEM-AP), para falar sobre a emenda de sua autoria à Medida Provisória (MP) 901, do governo federal, que beneficia Roraima e Amapá com a transferência de terras da União. Para Bittar, a decisão da Presidência da República precisa contemplar as demais unidades federativas que compõem a região amazônica.

Bittar foi ao encontro com Alcolumbre acompanhado do doutor e pesquisador da Embrapa Evaristo de Miranda, que expôs ao presidente do Senado as peculiaridades de cada estado da Amazônia Legal no que diz respeito às necessidades de preservação ambiental e oportunidades de crescimento econômico.

O senador do MDB do Acre já havia se utilizado do trabalho do pesquisador para embasar sua proposta de emenda à MP 901.Em uma delas, ittar defende que o governo federal tenha como prerrogativa “autorizar o uso direto dos recursos naturais, minerais, hídricos e energéticos das Unidades de Proteção Integral e das Unidades de Uso Sustentável em razão de relevante interesse nacional, especialmente para propiciar o desenvolvimento econômico e social da população”.

A proposta também prevê permissão para os estados da Amazônia Legal no que diz respeito à exploração de atividades agropecuárias em áreas das unidades de conservação, sem a necessidade de prévia autorização do governo, desde que feita pelos habitantes dessas áreas e dentro do limite de 25% da área total da unidade de conservação.

Bittar lembrou que os moradores da Amazônia não podem, em sua grande maioria, viver em perpétuo estado de pobreza. “Precisamos conciliar a preservação com a exploração racional e equilibrada dos recursos naturais”, disse ele.

PANORÂMICAS

# A XIII Reunião do Parlamento Amazônico, realizada nesta quinta-feira,31, no plenário da Aleac, não nos apresentou, como sempre, praticamente na da de novo.

# A união de parlamentares da nossa região é importante, mas na prática, o que existe mesmo é muito individualismo.

# Mesmo assim, o presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (PP), destacou a importância da união dos Estados que compõem a Região Amazônica, na busca de políticas e alternativas que possam contribuir com o desenvolvimento regional.

# O parlamentar saudou ainda os deputados que vieram de outros Estados, além dos representantes de entidades.

# Neste momento em que o país passa por uma grande crise econômica, o Parlamento discute temas regionais que possam servir de base para alternativas de crescimento e de desenvolvimento dos Estados que compõem a Amazônia legal”, enfatizou.

# Quanto ao tema abordado na XIII Reunião Ampliada do Parlamento Amazônico, "A Aviação na Amazônia", Nicolau Júnior falou da necessidade de incentivar a aviação regional visando movimentar aeroportos de menor escala

# Os deputados elaboraram ainda uma ata contendo todas as propostas e encaminhamentos de tudo o que foi discutido durante o encontro. O objetivo é encaminhá-la ao governo federal.

# Tudo o que foi debatido no encontro ficou devidamente registrado e documentado.

# Os parlamentares debateram problemas e temas importantes que a população do Acre e demais estados da região amazônica vivenciam atualmente.

# Claro que o Parlamento Amazônico é uma entidade importante para levar as demandas evidenciadas até o governo federal, mas precisa se unir mais para se tonar mais forte ao defender demandas regionais.

Artigos Publicados