O Rio Branco

Hoje é 20 de Novembro de 2017

E AGORA, ACIR?

Por Opinião OFF

09 de Outubro de 2017 às 17:21:52

REFORMA # A principal mudança é sobre as regras de financiamento de campanhas. O fundo público eleitoral deve contar inicialmente com R$ 1,7 bilhão. 2% deste dinheiro será distribuído igualmente entre os partidos. 35% serão divididos levando em conta o percentual de votos de cada partido na última eleição para deputados federais.

Outros 48% serão divididos de acordo com o número de deputados que cada partido tem hoje no Congresso e 15% considerando o número de senadores de cada legenda.  Os candidatos podem usar qualquer valor de seu próprio patrimônio em suas campanhas.

COMO FICOU # Os candidatos poderão ainda captar dinheiro por meio de financiamento coletivo. O texto impõe um teto para os gastos com campanhas. Os candidatos a presidência da república em 2018 poderão gastar no máximo R$ 70 milhões cada um. Em 2014, os dois primeiros colocados gastaram juntos mais de R$ 500 milhões.

Para o cargo de deputado federal, o teto é de R$ 2,5 milhões. Para senadores e deputados estaduais, o valor máximo a ser gasto depende da região. No entanto, gastos com veículo automotor usado pelo candidato, assim como salário, alimentação e hospedagem do condutor não são considerados custos de campanha pelo texto.

PRENSENÇA # Com o tema “avanços, desafios e perspectivas”, teve início nesta sexta-feira, 5, na Universidade Federal do Acre, o II Simpósio Multiprofissional de Terapia Intensiva do Estado do Acre (Simtiacre). O evento se apresenta com o objetivo de demonstrar a evolução e as mudanças nos processos de trabalho desenvolvidos no cenário da terapia intensiva.

A vice-governadora, Nazareth Araújo, participou do evento que é promovido pela Residência Multiprofissional Hospitalar com ênfase em Terapia Intensiva da Universidade Federal do Acre (RMHTI/Ufac), em parceria com a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (UTI/Huerb) e a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital das Clínicas de Rio Branco (UTI/HC).

E AGORA, ACIR? # Dono da Eucatur, a maior empresa de transporte de passageiros da região, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) apresentou no senado um projeto onde tenta acabar com a atuação dos táxis lotação entre as cidades. Se aprovada, a proposta acaba com o serviço das cooperativas de Táxis em pelo menos quatro estados da Amazônia: Rondônia, Acre, Amazonas e Mato Grosso.

Neste sábado (7), cerca de 200 taxistas que atuam no transporte de passageiros entre cidades de Rondônia e do Acre, realizaram um grande manifesto em Ji-Paraná(RO), em frente a matriz da Eucatur. Taxistas da Acre Táxi, cooperativa que explora o transporte de passageiros entre Rio Branco e Porto Velho, reforçaram o ato.

 



Confira os Últimos Artigos


Compartilhar