Colunistas

Cumprirei

          O presidente Jair Bolsonaro comprometeu-se, ou não, que alçaria o então juiz Sérgio Moro ministro do STF?  
Mais que do auto-proclamado filósofo Olavo de Carvalho e de uma onda antipetista, a eleição do presidente Jair Bolsonaro resultou de uma providencial canetada do então Juiz Sérgio Moro, afinal de contas, foi dele a decisão que retirou o ex-presidente Lula da recente disputa presidencial. Á época, o ex-presidente Lula, em todas as pesquisas e de todos os institutos aparecia em primeiro lugar.   
Que a não candidatura Lula favoreceu a eleição do presidente Jair Bolsonaro não há o que se discutir. Desta feita, restou bastante crível que, em contrapartida, o juiz Sérgio Moro viesse ser recompensado pelo que havia feito, caso o candidato Jair Bolsonaro fosse eleito. Mas nunca que lhes fosse ofertado uma vaga de ministro do nosso STF, isto porque, um compromisso desta ordem jamais poderia ter sido feito.   
Como o sonho acalentado de todo e qualquer juiz é ocupar uma das 11 cadeiras do nosso STF-Supremo Tribunal Federal, presumia-se  que o presidente Jair Bolsonaro, na primeira oportunidade que surgisse,  o alçasse a condição de ministro do próprio STF. Porém, quando de livre e espontânea vontade e com precipitada antecedência, o presidente Jair Bolsonaro declarou, publicamente, que se tratava de um compromisso, aí sim, toda sorte de especulações começaram a surgir.    
Por se tratar de uma questão que deveria ser tratada com o máximo de discrição e espírito público, aí vem o presidente Jair Bolsonaro e a torna público, a exemplo do que fez em uma entrevista, à Rádio Bandeirantes. Nela, assim o presidente Jair Bolsonaro se pronunciou: “a primeira vaga que tiver, eu tenho esse compromisso com o Moro e, se Deus quiser, cumpriremos este compromisso”. 
Antes da referida declaração, quando instado a falar sobre a possibilidade de se tornar ministro do STF, o hoje Ministro da Justiça  Sérgio Moro, respondeu: “virar ministro do STF seria o mesmo ganhar na loteria”. Enquanto resposta, a comparação não poderia ser mais esclarecedora.     

Mas para se tornar ministro do STF, para além da indicação do presidente Jair Bolsonaro será indispensável à aprovação do senado, daí a impropriedade da referida declaração.  
Se à título de prestigiar o ministro da Justiça Sérgio Moro o presidente Jair Bolsonaro deu divulgação a promessa de fazê-lo ministro do STF, a opção não poderia ter sido mais desastrosa.  

Artigos Publicados

Discriminação

Populismo

Não pode

Pornográfica