O Rio Branco

Hoje é 18 de Agosto de 2018

Provavelmente

Por Artigo do Narciso

09 de Junho de 2018 às 09:35:39

           A reeleição do senador Jorge Viana, ao que tudo nos faz crer, só depende do nosso calendário eleitoral.

.        As pesquisas e os comentários dos mais experimentados intérpretes da nossa enervante atividade política sempre que opinam sobre os dois senadores que emergirão da próxima disputa eleitoral já estão dando como certa a reeleição do senador Jorge Viana. Eu, particularmente, concordo com tais prognósticos, até porque, nenhum dos outros candidatos disporá de uma folha de serviços prestados ao nosso Acre, em extensão e qualidade, comparável a dele.  

         Mas ele é petista e o PT encontra-se em baixa, dizem seus opositores. Nada a ver, afinal de contas, embora não devesse ser assim, todos os nossos partidos encontram-se nivelados por baixo, e em razão disto, serão os valores pessoais dos candidatos e não dos partidos a que pertençam que determinarão a aprovação dos candidatos que vierem se submeter ao crivo popular.

         Daí a pergunta que não pode calar: estamos a tratar de uma candidatura cuja vitória já pode ser considerada como favas contadas? Nada disso. Estamos tratando de uma candidatura que, como qualquer outra, independente da confortável situação em que se encontra, precisa ser inteligentemente bem cuidada, afinal de contas, todos os candidatos que irão participar da próxima disputa eleitoral, estarão sujeitos ao que se convencionou chamar de “acidentes de percurso”, e sobre tais acidentes, o candidato Jorge Viana, mais uma vez, vem ser o mais preparado. E por quê? Porque raposa velha não costuma cair nos laços.           

.        Que os eleitores anti-petistas não votarão no candidato Jorge Viana de jeito nenhum, como diria Nelson Rodrigues é óbvio ululante. Mas de outro lado, os petistas de carteirinha religiosamente votarão nele. Como estas duas correntes, as do “anti” e as do “pró” Jorge Viana, no máximo, somam 40% do nosso eleitorado, praticamente se anulam. De mais a mais, trata-se de um percentual insuficiente para determinar a vitória ou a derrota dos candidatos que disputam mandatos majoritários.

         Quem vai definir os candidatos que serão eleitos na próxima eleição, entre eles, os nossos dois futuros senadores, serão os eleitores que não obedecerão aos comandos de nenhum dos nossos atuais partidos. Portanto, Cada vez mais, menos os eleitores lhes darão ouvidos.   

         Brasil afora, Acre incluso, mais de 60% dos eleitores se declaram  apartidários. Eu, particularmente, não apenas me declaro um deles como debito a nossa fragilidade democrática à nossa anárquica, corrupta e corruptora estrutura partidária. Digo mais: se mantida como está, o nosso país se tornará ingovernável.   

.        Se no universo dos nossos eleitores apartidários o candidato Jorge Viana sempre aparece como a primeira opção está explicado, matemática e eleitoralmente, o seu confortável favoritismo. Portanto, aos demais candidatos resta tão somente correr atrás da segunda vaga.

 



Confira os Últimos Artigos


Compartilhar