Colunistas

Incrível

                                        Jair Bolsonaro saiu do baixo clero da Câmara dos Deputados   e chegou à presidência da República fazendo tudo errado.

         No dia 02 de fevereiro de 2017, o então deputado federal Jair Bolsonaro entrou na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, e a despeito dos seus longos 28 anos na referida Casa parlamentar, sofreu uma derrota que bem poderíamos chamá-la de acachapante. Seis eram os correntes e os resultados foram os seguintes;

         Rodrigo Maia - 293 votos, Jovair Arantes - 105 votos, André Figueredo - 59 votos, Júlio Delgado – 28 votos, Luiza Erundina – 10 votos e Jair Bolsonaro -      4 votos. Até então, nada que surpreendesse, afinal de contas, tido e havido como integrante do baixo clero da Câmara dos Deputados, não fosse por suas  excentricidades, nada que dissesse seria levado à sério pelo suas pares. Ainda assim, menos de dois anos após, elege-se presidente da República. Que os nossos cientistas, analistas e historiadores políticos, venham à público para explicar tão inusitado feito, é o que esperamos.   

         Abaixo algumas de suas excentricidades, não apenas absurdas e, sobretudo, francamente antidemocráticas. Nas redes sociais, e a quem interessar possa, podemos encontrar de sua autoria, idiossincrasias do tipo;

         01 - O erro da ditadura foi torturar e não matar. Assim se pronunciou no programa Pânico da rádio Jovem Pan, em 2016.

         02 – Pela memória do coronel Carlos Roberto Brilhante Ustra, o pavor da Dilma, voto sim, pelo seu impeachment. Quando da votação do impeachment da então presidente Dilma Rousseff.

         03 – Através do voto você não vai mudar nada, absolutamente nada. Só vai mudar, infelizmente, se um dia nós partirmos para uma guerra civil e  fizer o trabalho que o regime militar não fez: matando uns 30 mil, começando por FHC”. FHC era à época, presidente da República.    

         04 - Como eu estava solteiro na época, esse dinheiro do auxílio moradia eu usava para comer gente.

         05 - Pinochet devia ter matado mais gente.

         Morreram poucos. A PM tinha que ter matado uns mil. Sobre a chacina do Carandiru.

         06 – Sobre seus filhos: Foram quatro homens - fracassei na quinta e veio uma mulher.

         07 – Sobre o Acre, no curso da sua campanha presidencial, disse: “Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre. Vou botar esses picaretas para correr. Já que gostam tanto da Venezuela, este turma tem que ir para lá.

          Eu, particularmente, nunca me surpreendi com as estultices do presidente Jair Bolsonaro, e dos seus filhos, menos ainda. Afinal de contas, de tudo podemos acusá-los, menos de incoerentes. Surpreendi-me sim, quando tomei conhecimento que mais de 57.000.000 de brasileiros decidiram nele.

         Quando o deputado federal, Eduardo Bolsonaro, ainda no curso da campanha presidencial, próxima passada, disse que para se fechar o nosso STF-Supremo Tribunal Federal bastaria um cabo e um soltado e ultimamente aventou com a possibilidade de ser instituído um novo AI-5, o que mais precisa ser dito para evidenciar a índole antidemocrática da família Bolsonaro? 

 

 

 

 

 

Artigos Publicados

Não pode

Pornográfica

Regulamentação e censura

Liberdade tem limites