Colunistas

A pensar!

Um dia tem (24x60) 1.440 minutos e na última quarta feira 1.349 brasileiros perderam a vida por Covid-19.

Aqueles que negavam a gravidade do coronavirus, entre eles, alguns profissionais em saúde pública, diga-se de passagem, pouquíssimos, e alguns politiqueiros, igualmente pouquíssimos, deveriam vir a público e pedir perdão, não apenas ao conjunto de nossa sociedade, sobretudo, as mais de 32.000 famílias que já perderam seus entes queridos infectados pelo referido vírus.

Os números acima revelam: apenas na última quarta-feira, a cada minuto morreu um brasileiro vitimado pela Covid-19. E o pior: segundo as mais importantes e competentes instituições mundiais do mundo que tratam de saúde pública, inclusive as nossas, continuam advertindo: se a curva de contaminação continuar crescendo, na mesma proporção continuará crescendo o número de mortes Nada mais assombroso!  

Ora, se a China, o país mais populoso do mundo e no qual o coronarirus teve origem, conseguiu conter a sua contaminação, decerto, só chegamos aonde chegamos, dada a trágica contribuição dos tantos quantos se impuseram e até condenaram o isolamento social. Nada mais insensato, até porque, não precisa que se seja profissional em saúde pública para entender que aproximação com pessoas contaminadas deva ser evitada. Simples assim!

No Brasil, verdade seja dita: na luta contra o coronavirus, por não dispormos de uma estratégia para combatê-lo, os mais elementares erros foram cometidos, entre eles, a se destacar, o estabelecimento da seguinte irracion

al e desumana disputa: a luta contra o coronavirus não pode sobrepor-se a luta pelo ajustamento das nossas contas públicas.

A partir de então, passou a prevalecer à politicalha, de um lado, o presidente Jair Bolsonaro e seus seguidores, muitos deles sabidamente fanatizados, e de outro, a grande maioria dos governadores, prefeitos e as recomendações emanadas da própria ciência médica.

Resultado: na referida luta, tantos foram os erros praticados que, para a nossa suprema tristeza, já somos o segundo país mais contaminado do mundo, e em número de mortes, já estamos ocupando o quarto lugar, e a passos largos, não tardaremos a ocupar o segundo, até porque, o primeiro lugar já tem dono, no caso, os EUA, isto porque, o seu presidente, Donald Trump, foi o primeiro chefe de Estado, em todo o mundo, a considerar a Covid-19 a uma gripezinha.

Ainda que muito tardiamente, faz-se absolutamente indispensável que seja instituída uma estratégia que possa evitar que o número de mortes, em nosso país, por Covid-19, pare de ser contado às minutos, até porque, em isto acontecendo, poderemos tirar o primeiro lugar dos próprios EUA.

 

Artigos Publicados

Abre e fecha

Fake News

As rachadinhas

Tempos tenebrosos

Coronavírus