Colunistas

Incrível

 

.                                      O presidente Jair Bonsonoro precisa se preparar para quando deixar o poder. Pois o Grupo Globo irá à forra. 

         O grupo Globo de Comunicação, um dos mais poderosos do mundo, quando é do seu interesse, transforma notícias de somenos importância,   em seguidos espetáculos, e quando não, simplesmente as ignoras. 

Isto só acontece porque o nosso país permite o monopólio dos nossos meios de comunicação, um crime previsto no artigo 220 § 5º da nossa constituição. Vejamos o seu enunciado: os meios de comunicação não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio. No nosso caso, pior ainda, isto porque, as nossas comunicações realizadas através de sinais temáticos, de rádio e televisão, por exemplo,  derivam de concessões públicas. Portanto, trata-se de um crime consentido pelo nosso próprio Estado. 

.        Na edição do último domingo, no seu mais afamado e tradicional programa, o “Fantástico”, a TV-Globo simplesmente ignorou um acontecimento que deveria ter se transformado, ainda que revestido das nossas maiores preocupações, aí sim, num grande espetáculo. Reporto-me as declarações do ex-Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, nas quais, revelara a sua inquestionável vocação assassina. 

.        Useira e vezeira em patrocinar espetáculos midiáticos, há que se perguntar: Por que o Grupo Globo de Comunicação desperdiçou tão singular oportunidade, algo jamais ocorrido, nem mesmo nas mais atrasadas e violentas republiquetas do nosso planeta?  

.        Ao tempo em que chefiava a PGR- Procuradoria Geral da República, uma das mais importantes funções na nossa estrutura de poder, em determinadas situações, a mais importante, consoante suas próprias declarações, Rodrigo Janot declarou que enquanto ocupava a chefia do nosso Ministério Publico Federal carregou o pente de sua potente pistola e se dirigiu ao prédio do nosso STF-Supremo Tribunal Federal, pronto e preparado, para descarregá-la na cara do ministro do STF, Gilmar Mendes. 

.        Ao fazer tão estupefaciente declaração, Rodrigo Janot tinha diante de si um grupo de jornalistas dos principais veículos de comunicação do nosso país, adrede convidados para o lançamento de um livro, de sua autoria, e passou a descrever os acontecimentos havidos na sua longeva passagem na chefia da nossa PGR. Por que o Grupo Globo de comunicações não teve o menor interesse em tão estravagante notícia?         Detalhe a se considerado: no auge da chamada Operação Lava-Jato, embora a dupla - Sérgio Moro/Deltan Dellanol – aparecesse como a mais vistosa, nada aconteceria sem o aval do hoje potencial criminoso, Rodrigo Janot, e sempre em primeira mão, tudo era anunciado pelo TV-Globo? 

         Moro/Dellagnol/Janot arquitetaram a construção de um projeto de poder, e em razão dos cargos que ocupavam e da bandeira que diziam empunhar - a do combate à corrupção - conquistaram um apoio popular, de tal ordem, que levaram o nosso poder executivo e o legislativo ao descrédito, e não satisfeito, conseguiram inverter a hierarquia do nosso poder judiciário, ou seja, nada que a República de Coritiba decidisse, poderia ser modificado pelos nossos tribunais superiores, nem mesmo pelos ministros do nosso STF, pois quem ousasse contrariá-la, de pronto seria acusado de ser a favor da corrupção.

         Por fim: qual o interesse do Grupo Globo de Comunicação ao ignorar este caso, por certo, de tamanha importância jornalística?

 

Artigos Publicados

Lula livre

Causa e efeito

Lições do mar

De mala e cuia

Publicidade opressiva