Colunistas

A Lava Jato poderia esclarecer melhor

Na madrugado do dia 17 de maio de 1992, um domingo, o Acre acordou  triste ao saber da morte do governador Edmundo Pinto (PDS), hoje PP. Assassinado com dois tiros de revólver, no apartamento 704 do Della Volpe Gaden Hotel, na rua Frei Caneca, no centro de São Paulo (SP), Edmundo  Pinto iria prestar depoimento na segunda-feira, dia 19, à CPI do FGTS, que investigava denúncias de corrupção envolvendo o então ministro do Trabalho, Antonio Rogério Magri.

O ministro Magri era acusado de desvio de verbas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para beneficiar a empresa Norberto Odebrecht. A Odebrecht havia vencido licitação para construir o famoso Canal da Maternidade, mais tarde batizado pelo governo petista de Parque da Maternidade. Edmundo teria afirmado que iria denunciar esquema de “lobistas”, em Brasília. Ao abrir o bico, Pinto pode ter decretado sua sentença de morte.

Os três bandidos presos e condenados como assassinos do governador acreano - Edison Alves do Carmo, Gilson José da Silva e Jomildo Ramos Barbosa foram mortes alguns anos depois. Hoje, 27 anos depois, a família do governador ainda não se conformou com a versão de latrocínio, apresentada pelo delegado Nélson Guimarães, chefe da Divisão de Homicídios da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A Operação Lava Jato poderia esclarecer melhor a morte do governador acreano.

Sem sucesso

Juíza Zenice Mota Cardozo, da 1ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, indeferiu Embargos de Execução impetrado pelo ex-secretário da Segurança  governo de Jorge Viana,  empresário Antônio Monteiro, contra o Basa para substituição do bem penhorado.

Valor da dívida

Ele é um dos proprietários do Resort Hotel, um dos maiores empreendimentos hoteleiros do Estado, que no ano passado teve sua penhora decretada pela justiça visando quitar pagamento de uma dívida avaliada atualmente R$ 18 milhões de um financiamento feito junto ao Banco da Amazônia.

Desde 2011

A operação de crédito, feita em 2011, pela empresa Amazônia Rio Empreendimentos LTDA, de propriedade de Antônio Monteiro e seus sócios Janete Eroti Franke, Geny Gláucia Monteiro Abrahão e a empresa JF Turismo, foi autorizada através da linha de crédito FNO Amazônia Sustentável.

Serve com teste

 Governo precisa de apoio dos deputados para poder aprovar aMinirreforma Administrativa protocolada quarta-feira pelo chefa da Casa Civil, advogado Ribamar Trindade. Para ser aprovada, a matéria precisa de 13 votos favoráveis, o que representa maioria simples dos 24 deputados.

Muito parado

Por ser correligionário e cunha do governador, o presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Junior (PP) está muito parado. Ele não move uma palha no sentido de conquistar apoio aos deputados.

Sem prestígio

Sem mandato e sem a poderosa caneta de presidente da Aleac na mão, o secretário de Articulação Política, Ney Amorim não é mais o mesmo e não tem mais prestígio de outrora junto aos deputados.

Sentindo o drama

Ney Amorim não mais o mesmo prestígio que tinha junto aos deputados antigos e não conseguiu conquistar apoio dos novos parlamentares. Laro que isso socorrerá quando houver uma ação conjunta com o chefe do Gabinete Civil, Ribamar Trindade e outros secretários.

Gratidão

Deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) ao que parece não é mais radical como antes. Tanto que admite votar a favor da Minirreforma enviada pelo governo estadual à Aleac. Há parentes do comunista com cargo no governo. Por isso é uma questão de gratidão.

Mais petistas

Cerca de 20 dos novos cargos a serem criados na Minirreforma do governo estadual, serão destinados aos petistas. O petistas mais cretinos e nojentos que não tiveram vez nem nos governos deles, agora estão sendo contemplados na gestão progressista.

Estratégia

Ao lançar campanha de despetização, o governo estadual apenas queria acalmar a militância do PP e dos demais partidos aliados. Os petistas estão em todas as secretarias, sobretudo a Fazenda, Saúde, Educação, Comunicação e até no Gabinete Civil.

# Uma semana após o lançamento da Operação Verão-2019, as críticas à prefeita Socorro Neri  (PSB) diminuíram consideravelmente. Os que já foram contemplados estão a aplaudir a prefeita. Os que ainda estão com as ruas emburacadas alimentam a esperança de serem beneficiados nos próximos dias. A prefeita viaja neste fim de semana a São Paulo (SP) para acompanhar cirurgia de seu marido, o médico veterinário Joaquim Medeiros, mas os trabalhos vão continuar a todo vapor.

PANORÂMICAS

#  Lula da Silva contingenciou R$ 20 bilhões da Educação. Ninguém reclamou, ninguém foi para a as ruas protestar.  

# Dilma Rousseff também contingenciou R$ 10 bilhões. Também não houve protestos.

# Jair Bolsonaro caiu na besteira de contingenciar 30% dos recursos da Educação e viu o mundo desabar sobre suas costas.

# É por essas e por outras que os sindicalistas estão cada vez mais desacreditados junto à opinião pública.

# Dese a reabertura democrática que as universidades públicas no Brasil, sobretudo as federais, atuam como diretórios do PT e de ouros partidos da esquerda nojenta e corrupta.

# Eles sabem a diferença que há entre corte e contingenciamento. No entanto, falam apenas em cortes.

# Governo precisa de um apaziguador, de um negociador e um articulador.

# Os que se apresentam por aí nenhum tem perfil, coragem e tampouco credibilidade.

# Por isso, a base governista que é maioria encontra-se esfacelada.

# Um bom dia ao juiz aposentado Pedro Longo, pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco pelo PV.

Artigos Publicados

Agora o ano, enfim, começa pra valer!

Governador defende menos burocracia na Suframa